Páginas

domingo, 21 de novembro de 2010

AMIGO NÃO SE COMPRA, SE ADOTA!

Neste domingo foi lançada oficialmente pelos grupos de proteção Animal VEM (Vegetarianos Em Movimento) e ASDEPA (Associação de Proteção Animal) a campanha intitulada: Amigo NÃO SE COMPRA, SE ADOTA! Cujo objetivo é conscientizar a população sobre a crueldade que está por trás do comércio de animais e também da necessidade e benefícios da adoção de animais abandonados.

Os ativistas dos grupos mobilizaram-se em duas frentes: O VEM, em caminhada pela praça da república distribuiu panfletos e conversou com as pessoas, exibindo um grande baner por onde passava, alertando as pessoas para que adotassem um animal, em vez de comprá-lo, enquanto a ASDEPA, realizou sua tradicional feira de adoção de cães e gatos, onde disponibilizou animais que foram retirados das ruas, de potenciais situações de risco para serem adotados. Tal atividade será realizada todo domingo pelo grupo VEM e quinzenalmente pela Associação Asdepa.

Tal parceria se deu, em função da luta política e judicial das duas associações contra o comércio ilegal de animais na capital de Belém, pois na cidade existem locais tradicionais de venda de animais. A luta se dá no sentido de exigir a aplicação da lei municipal n° 8.413/05 que proíbe a venda de animais domésticos em locais públicos prevendo apreensão dos animais e multa, sendo a competência da Guarda Municipal fiscalizar, porém, apesar da existência da lei, a comercialização ainda ocorre em plena luz do dia e sob o manto da legitimação social. Atualmente os dois grupos concentram suas forças para acabar com a venda na praça da república e apesar da existência da lei e de todo esforço empregado, ainda vemos muitas dificuldades, pois infelizmente o poder público tem poucos recursos e déficit de pessoal para fiscalizar. Nesse sentido, o grupo visualizou a necessidade da criação da campanha, que viria para desmoralizar TODO TIPO de venda de animais e conscientizar a população, visto que a comercialização é aceita e legitimada pela sociedade, apesar de legalmente ser proibida.

Nenhum comentário: