Páginas

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Incra e PM voltam a Anapu por causa de madereiros

A situação permanece tensa em Anapu, na região da Transamazônica paraense, onde trabalhadores rurais do Projeto de Desenvolvimento Sustentável Esperança mantém, desde a semana passada, um bloqueio na estrada para impedir o trânsito de madeireiros que exploram ilegalmente a floresta do assentamento.

Amanhã (18) acontecerá uma reunião no local, com a presença da superintendente do Incra de Santarém, Cleide Antonia de Souza. Os assentados propuseram a colocação de guaritas de segurança nas entradas do assentamento, para coibir a invasão da área por madeireiros. A medida já foi tomada em outro assentamento de Anapu.

“Concordamos com a colocação das guaritas porque entendemos ser uma maneira mais permanente de impedir a invasão pelos madeireiros. E também vamos trabalhar para punir quem vende madeira para esses criminosos”, alerta o procurador da República em Altamira, Bruno Gutschow.

Na semana passada, após pedido do MPF, a Secretaria de Segurança Pública do Pará enviu homens da Polícia Militar para o local. Eles chegaram a apreender um caminhão carregado de toras retiradas ilegalmente, mas não fizeram nenhuma prisão. Após a saída da PM, de acordo com informações da Comissão Pastoral da Terra, os madeireiros voltaram ameaçar os assentados.

Hoje (17), o procurador Bruno Gutschow solicitou que a PM volte à área para acompanhar a reunião de amanhã, para garantir a segurança dos produtores rurais e também dos servidores do Incra. O secretário de segurança Luiz Fernandes já confirmou o envio dos policiais.

O padre Amaro Lopes e as freiras Jane Dwyer e Katia Webster, que continuam o trabalho da irmã Dorothy Stang em Anapu, estão no local onde os assentados bloquearam a estrada e continuam acompanhando de perto a situação.(PRPA)

Um comentário:

Carol disse...

Adorei seu blog ...tô seguindo ...segue o meu tbm ?
http://luzcameraeinformacao.blogspot.com/