Páginas

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Unidade de Oncologia do Estado começa a funcionar em junho

ALESSANDRA SERRÃO/AG. PARÁ
O governador Simão Jatene, o ministro da Saúde Alexandre Padilha e o secretário de Estado de Saúde, Helio Franco, visitaram ontem (16), às 10h, a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), que vai funcionar no Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB). A comitiva foi recebida pelo reitor da UFPA, Carlos Maneschy e pelo diretor do HUJBB, Eduardo Leitão. Também estavam presentes a secretária adjunta Rosemary Góes, diretores e assessores da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).
A Unacon faz parte do Projeto Expande, do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que tem parceria da Universidade Federal do Pará (UFPA), Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma). O objetivo é torná-lo mais uma referência para o atendimento de pacientes com câncer no Estado, reduzindo a demanda para o Hospital Ophir Loyola (HOL), pois segundo Helio Franco, hoje há 680 pacientes aguardando por atendimento oncológico só na área de cabeça e pescoço.
Foram visitados o setor de redioterapia, onde já está instalado o acelerador linear, o setor de braquiterapia, destinado ao tratamento de câncer de colo uterino e o segundo andar, onde funcionará o setor de Ensino e Pesquisa na área de Oncologia. O novo serviço começará a funcionar até o mês de junho, com 153 profissionais cedidos pela Sespa, que também vai financiar o serviço até que a Unidade seja credenciada pelo Ministério da Saúde e se torne autossustentável.
Também será credenciado o serviço de cirurgia oncológica, procedimento que é realizado pelo Barros Barreto há mais de dez anos e nunca foi credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
O governador Simão Jatene lembrou que a obra da Unacon começou no seu primeiro governo. "Vamos trabalhar par que em três ou quatro meses já esteja funcionando, porque isso é ganho importante para o Estado", anunciou. Ele disse que também tem preocupação em implantar serviços semelhantes em outros municípios a partir dos Hospitais Regionais, fazendo com que funcionem de forma mais efetiva.
Jatene espera que o governo federal trate o Pará da mesma forma que o governo estadual tratou a Prefeitura de Santarém, ou seja, "trabalhando em conjunto para o benefício da população, independentemente da questão partidária".
O secretário de Saúde, Helio Franco, também tem preocupação em expandir os serviços de média e alta complexidade para outros municípios, mas também quer fazer com que a Atenção Primária funcione, "uma vez que 30% dos casos de câncer têm como causa direta o tabagismo e o câncer de útero é o tipo de câncer que mais mata mulheres no Estado, questões que podem ser prevenidas com ações na Atenção Básica", explicou.
O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que além de investir em média e alta complexidade no tratamento de câncer, a prioridade do governo federal é fazer com que as mulheres, em especial, tenham acesso ao exame preventivo para detecção precoce do câncer de colo de útero e à mamografia para o câncer de mama. Ele também falou da necessidade de expandir os serviços de atenção oncológica para os municípios do interior do Estado, evitando que as pessoas precisem vir a Belém.
Na ocasião, Padilha prometeu fazer uma avaliação dos serviços de média e alta complexidade que continuam sem credenciamento junto ao SUS, como, por exemplo, serviços de hemodiálise e UTIs neonatais.
Meningite - Simão Jatene e Helio Franco também visitaram a Unidade de Diagnóstico de Meningite (UDM), que vai funcionar no Barros Barreto, em parceria com a Sespa. O objetivo é transferir para a nova Unidade, o serviço que hoje funciona precariamente na Unidade de Saúde da Pedreira. Com oito leitos, sendo quatro de isolamento e quatro de observação, a UDM deverá entrar em funcionamento até março, melhorando o diagnóstico e tratamento de pacientes com suspeita de meningite. (Agência Pará)

Nenhum comentário: