Páginas

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Belém ganha neste semestre unidade do Pró-Paz

O Pará recebe ainda neste semestre sua primeira Unidade Pró-Paz, novo modelo de segurança pública que será implantado pelo governo para ajudar a reduzir os índices de criminalidade no Estado. O projeto piloto, que terá os moldes do programa Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) implantado no Rio de Janeiro, ficará na Região Metropolitana de Belém (RMB), em área ainda não definida. É uma ação integrada que unirá segurança e políticas públicas para atender as comunidades que mais sofrem com a violência urbana.

O secretário estadual de Segurança Pública, Luiz Fernandes Rocha, explica que o local onde será instalada a primeira Unidade Pró-Paz está sendo definido a partir de um estudo minucioso das estatísticas de ocorrências policiais, feito pela Superintendência de Prevenção Social da Criminalidade da Polícia Civil. "Esse levantamento leva em consideração os índices criminais e as políticas públicas que podem ser implantadas para beneficiar aquela comunidade. O trabalho não é só de segurança, é bem mais abrangente", explica.

A Unidade Pró-Paz funcionará num espaço onde vão atuar, em conjunto, a Polícia Comunitária - que reúne policiais civis e militares - e técnicos do Pró-Paz, que também terão apoio de servidores de outras áreas do governo, como educação e saúde. O público-alvo são jovens de 12 a 18 anos (muitos dos quais descambam para o crime pela falta de oportunidades), que serão diretamente beneficiados pelas políticas públicas de prevenção à criminalidade, entre elas atividades esportivas e de lazer.

"Mais que uma unidade de policiamento, a Unidade Pró-Paz será um núcleo para a sociedade, com um setor de mediação de conflitos, que atuará com a comunidade, atendendo demandas previamente catalogadas, e um núcleo e prevenção social, para acompanhar as políticas públicas", continua o secretário, lembrando que o local também servirá para receber denúncias de crimes como tráfico, assassinato e roubo. "Muitos antes do fim do semestre teremos essa unidade funcionando", garante.

Experiência - Segundo a Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro, a Unidade de Polícia Pacificadora é um novo modelo de segurança pública e de policiamento que faz a aproximação entre a população e a polícia, aliada ao fortalecimento de políticas sociais nas comunidades. Ao recuperar territórios ocupados há décadas por traficantes e, recentemente, por milicianos, as UPPs conseguiram reduzir índices de criminalidade alarmantes em mais de 15 comunidades.

O Governo do Rio considera hoje as UPPs como "uma importante arma" para recuperar territórios perdidos para o tráfico e levar a inclusão social à parcela mais carente da população. Hoje, cerca de 200 mil pessoas são beneficiadas pelas unidades. Criadas em 2009, as UPPs trabalham com os princípios da Polícia Comunitária, estratégia fundamentada na parceria entre a população e as instituições da área de segurança pública. (Agência Pará)

Nenhum comentário: