Páginas

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Censura ao delegado Arnaldo Mendes

Vivemos em um país considerado democrático e livre, ao qual todos possuem liberdade de ir e vir, liberdade de expressão, liberdade religiosa, e “dentre outras tantas liberdades”. A pesar disso vivemos durante muitos anos, ou talvez décadas, ou será séculos, debaixo de uma falsa democracia e de uma falsa liberdade; já que somos reprimidos por parte do governo a todo instante no que diz respeito a exigir-mos os nossos direitos civis, isso na saúde, na educação, na cultura, na economia, etc. Para mostrarmos que esta realidade está bem próxima de nós, vejamos o caso do delegado da Polícia Civil, Arnaldo Mendes, que fez um apelo emocionante cobrando dos juízes da vara da infância e juventude agilidade e medidas enérgicas nas punições dos adolescentes infratores. Uma semana após suas declarações, a justiça solicitou explicações à corregedoria da polícia civil. Onde foi parar a liberdade? Um judiciário intocável? Vossa Excelência juíza Odete da Silva Carvalho, não é apenas o Dr. Arnaldo que cobra maior agilidade, mas a sociedade paraense como um todo. Nosso apoio a Arnaldo Mendes!

Um comentário:

Regina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.