Páginas

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Feira da Indústria espera 35 mil visitantes

Eliseu Dias/Ag. Pará
Os avanços no setor produtivo paraense serão destaque na 10ª edição da Feira da Indústria do Pará (Fipa), que acontece de 18 a 21 de maio, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, uma realização da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), com apoio do governo do Estado. Uma das maiores feiras do setor no país, a Fipa é a maior vitrine de produtos genuinamente paraenses. A organização espera cerca de 35 mil visitantes, durante os quatro dias de evento.

Para o coordenador da Fipa, Ivanildo Pontes, a 10ª edição da feira surpreenderá o público. “Teremos este ano muitas novidades de mercado, principalmente de novos produtos, novas empresas que estão chegando ao cenário paraense, algumas que ainda nem se instalaram, mas já vieram mostrar sua cara à população”, informou.

Para os organizadores da Fipa, um dos avanços ao longo das edições foi o local de realização: o Hangar, inaugurado oficialmente em 2007, com a abertura da feira. “O Hangar foi, sem dúvida, uma conquista para o Pará e a Amazônia. Posso dizer que era uma reivindicação antiga da Federação das Indústrias e que, felizmente, foi concretizada na primeira gestão do governador Simão Jatene. O Hangar é um incentivo ao turismo de negócios no Pará”, ressaltou Ivanildo Pontes.

Ele reforçou ainda a importância da feira como estratégia de divulgação do potencial produtivo do Estado. “Somos conhecidos internacionalmente por nosso minério. No entanto, outros segmentos da indústria também têm relevância no mercado internacional, fabricando produtos de qualidade e que precisam de projeção no mercado local. É para isso que realizamos, a cada dois anos, a Feira da Indústria. Dessa forma, fortalecemos a indústria local e conseguimos expandir economicamente”, acrescentou.

Modernização - Mais que diversificada, a indústria paraense, nos últimos sete anos, vem passando por um processo de modernização, importando peças e maquinário, e investindo na ampliação de produtos que ganham as gôndolas dos estabelecimentos comerciais dentro e fora do Estado.

De acordo com dados divulgados pelo Centro Internacional de Negócios (CIN), da Fiepa, no primeiro trimestre deste ano o saldo da balança comercial cresceu 110%, em comparação ao mesmo período de 2010, atingindo US$ 3,21 bilhões. O valor exportado, de janeiro a março deste ano, cresceu em 98% em comparação ao mesmo período do ano passado. Enquanto em 2010 as exportações fecharam o trimestre em US$ 1,739 bilhão, neste ano o valor registrado foi de US$ 3,44 bilhões, colocando o Pará no primeiro lugar entre os maiores exportadores da Região Norte, e na sexta posição no Brasil.

Para Ivanildo Pontes, a parceria com o governo do Estado é fundamental para a apresentação desses resultados positivos. “A abertura de diálogo entre o setor industrial e o governo do Estado é fundamental para atingirmos resultados significativos como estes. A Feira da Indústria só vem reforçar e destacar o excelente momento que nosso Estado vive”, reiterou.

O coordenador da Fipa destacou também a importância da participação do governo do Estado na realização do evento. “Se não houvesse o investimento do governo do Estado no sentido de incentivar o desenvolvimento da região, dificilmente seríamos capazes de realizar um evento desta amplitude. O governo é fundamental para a realização desse evento, pois abre oportunidades de negociações e diálogo entre Estado e a classe empresarial”, disse ele.

Verticalização – Uma das metas almejadas pela Fiepa, com o evento, é a verticalização da produção. “É necessário parar de exportar matéria prima. O objetivo da Federação é sensibilizar os governos do Estado e federal para o incentivo cada vez maior à instalação de grandes indústrias em nosso Estado, para que essa produção possa ser verticalizada”, explicou Ivanildo Pontes, acrescentando que essa meta só será alcançada se houver incentivos ao setor industrial.

Segundo ele, esse processo já pode ser visto nos setores de mineração, madeireiro e de pescado. “A tendência é cada vez mais agregar valor a nossa matéria prima. O evento dá abertura para a exposição desta vertente”, disse ele. De janeiro a março deste ano, o Estado importou R$ 32 milhões, 30% a mais que o registrado no mesmo período de 2010. Considerando apenas o mês de março, a variação foi de 61%.

A programação da Fipa contará também com ações do projeto Pró-Amazônia, composto por representantes dos nove Estados da Amazônia Legal, destinado a acompanhar e cobrar ações de interesse da região. No próximo dia 20 (sexta-feira), será realizada a reunião mensal do projeto em Belém, com a presença já confirmada de sete governadores da região de abrangência. Na ocasião, o CNI e a Ação Pró-Amazônia entregarão a comenda do Mérito Industrial ao senador Flexa Ribeiro. A honraria homengeia pessoas que prestaram relevantes serviços ao desenvolvimento do Estado.

Serviço – 10ª Feira das Indústrias do Pará (Fipa), de 18 a 21 de maio, no Hangar, de 17 às 22h. O ingresso custa R$ 5,00 e os visitantes concorrem ao sorteio de um carro 0 km. Mais informações pelos telefones (91) 4009-4815/4816. (Agência Pará)

Nenhum comentário: