Páginas

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Fafá de Belém: "Sou radicalmente contra a divisão do Pará"

Engajada na redemocratização do País, nos anos 80, a cantora Fafá de Belém agora se posiciona contra a divisão do Pará em três novos Estados: Vai dar ...
Engajada na redemocratização do País, nos anos 80, a cantora Fafá de Belém agora se posiciona contra a divisão do Pará em três novos Estados: "Vai dar dinheiro para os mesmos!"

No Pará, o plebiscito para questionar a criação de dois novos Estados, a ser realizado em novembro de 2011, provoca o desacordo da cantora Fafá de Belém com a tese separatista: "Sou radicalmente contra". Em entrevista a Terra, a artista, uma das estrelas da campanha das Diretas-Já, afirma que o surgimento dos Estados de Tapajós e Carajás provocará um retrocesso nas principais cidades paraenses.
- Sou contra. Radicalmente contra. Não dá para gastar essa fortuna, milhares de milhões, enquanto não se resolve a infraestrutura do Estado, das principais cidades. Ainda não resolveram o problema do saneamento, da saúde, da educação. Belém, lamentavelmente, eu li na revista Veja, é uma das capitais com piores condições de saneamento básico. Apenas 6% da cidade tem esgoto! Enquanto não se faz nada disso, não se pode pensar em dividir o Estado em três. É preciso fazer investimentos. Principalmente em Santarém (no oeste), Altamira (no sudoeste), onde o interior deve convergir. Deve-se, antes de pensar em divisão, cuidar dessas cidades - analisa a cantora paraense, que carrega a capital em seu nome artístico.
A Câmara e o Senado aprovaram os dois plebiscitos, que devem ser feitos simultaneamente pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Se a ideia polêmica for aprovada, o Pará será fragmentado para dar origem aos novos Estados de Carajás (sul e no sudeste) e Tapajós (oeste do Estado). O marqueteiro do separatismo será Duda Mendonça, responsável pela campanha do ex-presidente Lula em 2002 e proprietário de terras na região. Os antisseparatistas podem contar com as opiniões de Fafá. No Twitter e no Facebook, ela repetirá sua indignação com a proposta.
- A divisão vai dar dinheiro para os mesmos! Vai ser o mesmo equívoco. É ridículo, querido. Eles estão pensando nos próprios salários, na divisão dos cargos, no poder...
Mais de duas décadas depois da campanha das Diretas e da eleição de Tancredo Neves, Fafá de Belém prefere não deslegitimar a permanência de políticos como José Sarney e Jader Barbalho no poder federal. A artista defende investimentos em educação, uma das formas de transformar o Congresso.
- Veja o seguinte: eles estão no poder a partir do voto popular. O exercício da democracia é diário e, fundamentalmente, devemos investir muito em educação. Qualquer outra forma não resolve. Há que se investir em educação para inovar, para alterar o nosso quadro de representantes - conclui.(Terra)

Um comentário:

Anônimo disse...

Prezado Jorn.Lucas Nogueira : Sobre a bombástica declaração de Fafá ,o gaúcho que aqui escreve produziu o texto (internet)"FAFÁ DE BELÉM NAS FILEIRAS SEPARATISTAS
(www.patria-sulista.org)onde mostra que o sentimento do Sul em relação à sua terra é o mesmo de Fafá em relação ao Pará. Obrigado. Sérgio Alves de Oliveira (membro do GESUL)