Páginas

domingo, 26 de junho de 2011

Independente bate o Paysandu no Mangueirão e fatura título histórico

O Independente fez história neste domingo ao superar o Paysandu por 3 a 0 nos pênaltis após igualdade por 3 a 3 no tempo normal, no Estádio Mangueirão, em Belém-PA. O resultado deu ao clube de Tucuruí o título estadual de 2011, uma vez que as equipes haviam empatado por 2 a 2 na partida de ida. É a primeira vez que a taça do Campeonato Paranese irá para o interior do estado em 99 edições do torneio. A competição existe desde 1908, mas em alguns anos ela não foi disputada. A última vez que o caneco não ficou com os rivais Remo e Paysandu ocorreu em 1988, quando a Tuna Luso foi campeã.
No início do jogo, o Paysandu deu mostras de que alcançaria o seu 45º título. Logo aos 12 minutos, Sidny cobrou falta de longe e a bola ainda desviou na barreira antes de entrar. O Papão não ampliou por pouco aos 24, no momento em Vanderson soltou a bomba de fora da área e a bola tirou tinta da trave de Osmair.
O time visitante resolveu acordar no fim da primeira etapa e foi impiedoso com três gols consecutivos. Aos 37, Marçal fez brilhante jogada individual e bateu com categoria para empatar. Pouco depois, Wegno aproveitou cruzamento da direita e empurrou para o fundo da rede. Ainda antes do intervalo, Joãozinho encontrou tempo para bater rasteiro de canhota e fazer o terceiro do Galo Elétrico, como é conhecido o clube de Tucuruí.
A necessidade de mudar o resultado inflamou o Paysandu para o segundo tempo. Logo aos nove minutos, Mendes bateu falta com violência, o goleiro Osmair deu rebote e Hellinton diminuiu a diferença. A partir daí, a pressão bicolor foi enorme e o empate quase aconteceu aos 17. Sandro Goiano avançou pela direita e cruzou para a meia-bicicleta de Mendes. A bola bateu na trave e saiu.
Com muita raça e suor, o Independente se propôs a administrar o resultado e explorar os contra-ataques. Joãozinho teve a grande chance de matar o jogo aos 39, mas perdeu gol cara a cara. E  o lance custou caro, Quando a parada parecia definida, Sandro Goiano recebeu na entrada da área e soltou a bomba cruzada de fora da área, no cantinho de Osmair, que nada pôde fazer para evitar o empate. O Campeonato Paraense teve de ser definido nos pênaltis.
Nas penalidades, o Paysandu teve um péssimo aproveitamento, errando as três cobranças. Sidny, Rafael Oliveira e Mendes mandaram para fora, isolando a bola em todas as ocasiões. O Independente, por sua vez, foi 100% efetivo e faturou o título inédito merecidamente.
O grande símbolo da conquista do Independente foi o experiente Gian (37 anos), revelado pelo Vasco. Substituído no fim, ele não teve a oportunidade de cobrar um dos pênaltis, mas não deixou de exercer a sua fé para abençoar os companheiros.
- Fui no vestiário pegar a minha vela, que já estava apagando, para nos dar sorte. É muita alegria fazer história por um clube do interior do Pará. Passamos por todos os obstáculos e conseguimos esse título importantíssimo - frisou Gian, que foi campeão mundial sub-20 pela Seleção Brasileira em 1993. (Globo.com)

Nenhum comentário: