Páginas

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Negociação salarial apresenta resultado positivo

O Dieese/PA divulgou hoje (18) o balanço das negociações salariais ocorridas em todo o Brasil no primeiro semestre deste ano.
Com base em 353 negociações salariais ocorridas no semestre em todo o país  com registro no Sistema de Acompanhamento de Salários, mantidos pelo Dieese-PA,  foi possível concluir que entre janeiro e junho, cerca de 93% dos reajustes conquistados pelas categorias que negociaram seus salários, asseguraram reajustes salariais iguais  ou superiores a  inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, acumulada desde o último reajuste. Trata-se do segundo melhor resultado registrado desde 2008, quando o Dieese-PA passou a analisar os resultados  exclusivamente  pelas  unidades de negociação pertencentes a um painel controlado de categorias profissionais.
Apenas em 2010, a proporção de unidades de negociação com reajustes acima do INPC superou o apurado este ano.
A análise dos reajustes salariais das 353 unidades de negociação brasileira revela resultados favoráveis às conquistas de ganhos reais dos salários, dando continuidade à tendência observada nos últimos anos, em especial as negociações de 2010, mesmo  com a ligeira queda nos percentuais de aumento real.
A pequena redução desses ganhos em relação ao ano passado é captada pela relativa diminuição de ganhos mais elevados e pelo aumento do número de reajustes que não repõem a inflação do período.
Do ponto de vista dos setores de atividade, o comércio foi o que registrou o maior percentual de reajuste acima da inflação e o setor de serviços, o menor. Na indústria, observa-se um aumento no número de negociações com aumento real, mas também um crescimento entre aquelas com reajustes abaixo do INPC-IBGE.
Quanto às atividades econômicas, destacam-se as negociações da construção e mobiliário, indústria extrativa, comércio de minérios e derivados de petróleo e trabalhadores em bancos e seguros privados – todas conquistando aumentos reais nos salários – e também as negociações da indústria de alimentação, metalúrgica, gráfica, comércio atacadista e varejista e trabalhadores em transportes. O destaque negativo fica por conta das negociações do segmento das comunicações e da segurança e vigilância, onde ocorreram as maiores reduções no número de reajustes superiores à inflação.
A comparação dos reajustes por data-base apresenta relativa estabilidade no decorrer do semestre, revelando a permanência de um cenário favorável às conquistas dos trabalhadores. Esse fenômeno pode estar relacionado à pequena variação entre os índices para recomposição salarial nas datas-base do primeiro semestre de 2011. Contudo, a relação entre taxa de inflação e desempenho das negociações salariais não pode ser assumida sem outras considerações. Em 2011, ocorreu a maior média do índice para recomposição salarial nas datas-base do primeiro semestre. No entanto, o ano registra, ainda, o segundo melhor resultado geral do período, no que se refere aos ganhos frente à inflação.
Em síntese, os resultados das negociações analisadas neste estudo apresentam um quadro positivo para a negociação salarial brasileira. (Com informações do Dieese/PA)

Nenhum comentário: