Páginas

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Polícia conduz a Belém casal acusado de matar vigilante em motel

Eliseu Dias/Ag. Pará
Savana Natália Barbosa Cruz, 25 anos, e Raimundo Nonato Ferreira dos Santos, 33 anos, ambos acusados de participar do assassinato do vigilante Joelson Ramos de Souza, já estão em Belém. O casal foi preso no início da tarde desta quinta-feira (11), no interior do Pará, e conduzido para a capital em um avião do Estado. Savana Natália e Raimundo Nonato chegaram à capital paraense às 20h20.
Na chegada a Belém, Savana Natália e Raimundo Farias foram levados até a sede da Delegacia Geral de Polícia Civil, onde foram apresentados à imprensa. Antes, no entanto, o diretor de Polícia Especializada, delegado João Bosco, detalhou o processo de investigação que culminou com a prisão dos acusados.
“Após 32 dias de ininterruptas investigações, conseguimos prender os acusados. O trabalho foi feito com técnica e afinco. Sofremos como a família da vítima”, disse ele, durante a exposição dos detalhes da operação batizada de “Viúva Negra”.
Também foi trazido a Belém o irmão de Raimundo Nonato, Francisco Ferreira dos Santos. "O Francisco está preso, mas não teve participação no crime. Ele entregava dinheiro para o Raimundo para ajudar na fuga dos acusados", disse o delegado Luiz Xavier, responsável pela prisão de Raimundo Nonato.
Caçada - As evidências coletadas pelos policiais durante o trabalho de investigação garantiu que apenas cinco dias após o crime a Polícia Civil estivesse com os mandados de prisão. “Dia 15 de julho obtivemos os mandados de prisão e saímos à caça dos acusados. Digo ‘caça’ porque esse era o espírito de toda a equipe que trabalhou na investigação”, desabafou o delegado João Bosco.
“A prisão do casal ocorreu praticamente ao mesmo tempo”, afirmou o delegado geral da Polícia Civil, Nilton Atayde. Ele detalhou que Savana Natália foi presa no interior de um navio, no município de Almerim, região do Baixo Amazonas, enquanto Raimundo Nonato foi preso na zona rural do município de Novo Repartimento, sudeste paraense. As prisões ocorreram com uma hora de diferença. Savana Natália foi a primeira a ser detida.
O delegado geral revelou que os acusados já estavam sendo monitorados havia alguns dias pela Polícia Civil. “Descobrimos primeiro o paradeiro dela (Savana), mas a nós interessava prender os dois, por isso aguardamos até termos certeza do local onde ele (Raimundo) estava escondido. Depois disso foi preciso aguardar pelo momento ideal para efetuarmos as prisões”, disse. O fato de o casal ter se separado não atrapalhou o trabalho da polícia judiciária, garantiu o delegado, que avaliou positivamente o trabalho da equipe.
O crime, que ocorreu no fim da noite de 10 de julho, só foi descoberto na manhã seguinte. A vítima teve a cabeça e os dedos das mãos cortados para dificultar a identificação. Segundo relato de parentes e amigos, Joelson de Souza saiu de casa para se encontrar com uma mulher que havia conhecido e com quem mantinha contato pela internet, a qual seria Savana Natália.
Dois taxistas, que transportaram os dois suspeitos e um mototaxista, que transportou a vítima até o local do crime, prestaram depoimentos no início das investigações, apontando as características do casal e ajudando na identificação. Golpe e crime passional foram as linhas de investigação da polícia. (Polícia Civil)

Um comentário:

Radelson disse...

ISSO É UM ALERTA PRA QUEM FAZ CONTATO PELA INTERNET,SEM ANTES SE PRECAVER DE CUIDADOS,POISÉ COMPLICADO SAIR POR AÍ MARCANDO ENCONTRO COM QUALQUER PESSOA SEM SABER O MINIMO DESTA PESSOA.