Páginas

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Belenenses não lembram do 15 de novembro

Poucas pessoas, em Belém, sabem do que se trata o feriado desta segunda-feira (15). Foi o que constatou a reportagem do DOL, ao perguntar para algumas pessoas no movimentado mercado do Ver-o-Peso e na Praça da República, o que eles sabiam sobre o dia 15 de novembro.
Grande parte dos entrevistados afirmaram não saber o motivo do feriado, alguns até alegaram que o feriado seria amanhã (16), mas que foi antecipado para aproveitar o final de semana e ter um feriado prolongado.
Dentre adultos, homens e mulheres foram entrevistados, além de crianças na faixa etária de 10 anos. Dentre oito crianças, apenas duas souberam dizer que hoje se comemorava a Proclamação da República.
O reportagem do DOL, também trafegou pelos principais bairros de Belém e percebeu como o feriado passou em branco para os belenenses. Apenas um edifício em frente a Praça da República, Associação Vasco da Gama, foi encontrado com uma bandeira do Brasil hasteada. Leia mais aqui.
Candidatos de um concurso público, que aguardavam no lado de fora na Escola Estadual Souza Franco, também foram entrevistados e não souberam responder. A situação ficou ainda mais embaraçosa, quando o pai de um deles afirmou que o feriado teria sido antecipado por conta do fim de semana.
Para o professor de história, Antonio Carlos Lobato dos Santos, que leciona para os ensinos fundamental e médio, a falta da participação popular nesse momento histórico, fez com que o fato não habitasse na memória coletiva "Este fenômeno não acontece só em Belém, mas sim em todo o país", analisou o professor.
Ainda segundo o professor Antonio Carlos, a proclamação foi um golpe de estado feito pelo exercíto e as pessoas ficaram sabendo do golpe só no outro dia através dos jornais "O próprio ensino educacional hoje, mudou da década de 80 para cá. A história ficou mais ligada na questão do processo, e as datas e nomes se perderam", explica o professor.
Antônio Carlos também lembra que feriados como os de hoje devem servir para reflexão, assim como o de 7 de setembro, datas para refletir sobre a atual situação política do país "As pesoas devem saber o quê estão comemorando; e é para isso que serve a história, para apurar o passado e refletir sobre o seu presente", concluiu Antonio Carlos.
(Adriana Pereira, DOL)

Nenhum comentário: