Páginas

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Governo recebe termo de acordo coletivo da Intersindical

A secretária de Estado de Administração, Alice Viana, recebeu nesta quinta-feira (24), das mãos de representantes de nove sindicatos de servidores, uma associação representativa dos policiais militares e uma dos peritos, o termo de acordo coletivo para o ano 2011. O documento foi entregue durante a segunda reunião entre a Intersindical e o Governo do Estado, realizada no auditório do Centro Integrado de Governo.
Contendo mais de 20 cláusulas entre pautas sociais, econômicas e sindicais, o termo começará a ser discutido na próxima reunião, marcada para o dia 14 de março. Alice Viana considera o início de negociação com a Intersindical um processo democrático importante. "É diretriz deste governo procurar a melhor forma de relacionamento possível com os sindicatos e ter uma gestão transparente. O processo de negociação é saudável para estabelecer uma boa relação de trabalho", ressaltou.
A titular da Sead disse, ainda, que a Intersindical solicitou um conjunto de informações para conhecer oficialmente a atual realidade econômico-financeira do Estado. "Vamos entregar os dados na próxima reunião, para que eles tenham uma visão da grave situação em que o Estado se encontra", afirmou.
No dia 14 tem início efetivamente a negociação entre Governo e Intersindical. De acordo com o cronograma estabelecido entre as partes, a discussão começará pelas reivindicações sociais, como política de saúde do trabalhador, estabelecimento de canal permanente de diálogo nos órgãos, planos de saúde, endividamento de servidores junto ao Banco do Estado do Pará, entre outros.
O representante dos policiais militares na Intersindical, Haelton Costa, disse que as pautas sociais são tão importantes quanto as salariais. "Assim como lutamos por um salário melhor, queremos que os servidores tenham melhores condições de trabalho", afirmou.
Quanto ao reajuste salarial, Haelton disse que, a princípio, a Intersindical quer um reajuste linear para todas as categorias de 12%. "Pode ser que esse valor mude após analisarmos as informações da situação financeira do Estado, que será entregue pelo Governo na próxima reunião", revelou. Além do reajuste, os sindicatos e associações lutam por um tíquete alimentação no valor de R$ 330, para servidores que ganham menos que esse valor. Segundo ele, a maioria dos servidores do estado ganha tíquete alimentação no valor de 100 reais.
Participaram da reunião representantes dos Sindicatos do Fisco, do setor agrário, da Funcap, da Saúde, do Detran, da Polícia Civil, da Previdência e Assistência, da Universidade do Estado do Pará, Associação das Mulheres e Familiares dos Militares do Estado do Pará PM e BM, Associação dos Peritos do Pará, além do supervisor técnico do Dieese, Roberto Sena.(Secom)

Nenhum comentário: