Páginas

terça-feira, 5 de abril de 2011

Belém recebe exposição de Hélio Oiticica

Chega a Belém a exposição "Hélio Oiticica - Museu é o Mundo", com obras e filmes de Hélio Oiticica, um dos artistas brasileiros mais pesquisados e exibidos mundo afora. A mostra será apresentada no Museu Histórico do Estado do Pará, no Museu do Forte do Presépio, na Estação Docas, no Fórum Landi, na Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (Centur) e no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. A exposição tem apoio da Universidade Federal do Pará (UFPA), Allianz, Foco e Secretaria de Cultura do Estado do Pará.
A maior parte das obras vem do acervo de César e Claudio Oiticica, e reúne raridades como seus famosos Metaesquemas, os desenhos do período neoconcreto, guaches, uma calça feita para a Mangueira, além de Bólides e Penetráveis. Com curadoria de Cesar Oiticica Filho, Fernando Cocchiarale e Wagner Barja, a mostra cobre todos os períodos da produção do artista. A mostra é uma itinerância da exposição realizada em março (no Itaú Cultural, em São Paulo), em setembro (no Rio de Janeiro), e em dezembro (em Brasília), mas adquire um contorno especial em cada cidade que passa.
A exposição traz ainda raríssimos penetráveis, obras monumentais de Hélio Oiticica [1937-1980], como "Tropicália", de 1967, e "Rijanviera", de 1979, no Museu Histórico do Estado do Pará; "Macaléia", de 1978, e "A Invenção da Luz", de 1978/1980, no Museu do Forte do Presépio; "Nas Quebradas", de 1979, na Estação Docas; e "Rhodislandia", de 1971, no Fórum Landi. "Éden", um conjunto de vários ambientes que integrou a primeira exposição do artista em Londres, na White Chapel, em 1969, estará na Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (Centur) e "Penetrável Gal", de 1969, no Espaço Cultural Casa das 11 Janelas.
Na exposição, serão apresentados os filmes "Agripina é Roma Manhattan" (1972) e "Brasil Jorge, Homenagem a Jorge Salomão" (1972), ambos de Hélio Oiticica, e "Phone" (1975), de Andreas Valentim.
Locais e horários de visitação:
Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP)
Na Sala da Cavalariça está o penetrável "Tropicália", de 1967. Na Sala Transversal estão "Meta-esquemas", "Relevos Especiais", "Bólides" e "Desenhos Neoconcretos". Na varanda dos fundos, o Penetrável "Rijanviera", de 1979. Palácio Lauro Sodré - Praça Dom Pedro II, s/nº - Cidade Velha. De terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado e domingo, das 10h às 16h. Feriados, de 9h às 13h.
Museu do Forte do Presépio
Na área interna do museu, o penetrável "Macaléia", de1978, e, na área externa, "A Invenção da Luz", de 1978/ 1980. Praça Dom Frei Caetano Brandão, s/n. Cidade Velha. De terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado e domingo, das 10h às 16h. Feriados, de 9h às 13h.
Estação Docas
O penetrável "Nas Quebradas", de 1979.
Boulevard Castilho França, s/n. De segunda a domingo de 12h às 24h
Fórum Landi
No corredor lateral, o penetrável "Rhodislandia", de 1971.
Rua Siqueira Mendes nº 60 - Bairro da Cidade Velha. De segunda a sexta, das 9h às 18h
Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (Centur)
No hall de entrada, o "Éden", um conjunto de vários ambientes que integrou a primeira exposição do artista em Londres, na White Chapel, em 1969. Na galeria, "Cosmococa", de 1973. Av. Gentil Bittencourt, 650 - Nazaré. Todos os dias, das 9h às 22h.
Espaço Cultural Casa das 11 Janelas
O "Penetrável Gal", de 1969. Praça Dom Frei Caetano Brandão, s/n. Cidade Velha.
De terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado e domingo, das 10h às 16h. Feriados, de 9h às 13h.(Agência Pará)

Nenhum comentário: