Páginas

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Líder do PT chama tucano Mário Couto de 'débil mental' em bate-boca no Senado

Mário Couto critica senadores contrários à CPI da Corrupção. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Diante das recentes denúncias de corrupção, senadores do PT e do PSDB travaram um forte embate nesta quarta-feira, com direito a bate-boca em Plenário, acusações mútuas de corrupção e a cobrança de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para que sejam apuradas supostas irregularidades em ministérios. O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), chegou a afirmar que o destempero do tucano Mário Couto (PSDB-PA) é justificado por ele ser "débil mental".
"No Brasil, a depender do governo da presidenta Dilma, da mesma forma daquilo que dependeu do governo do presidente Lula, nós não vamos ter acobertamentos, como aconteceu em governos anteriores. Aqui, o nosso partido (PT) já foi chamado, aqui, de partido de bandidos, de vagabundos. E não há um pronunciamento da Mesa desta Casa em relação a esse tipo de prática. Ninguém aqui se levanta contra esse tipo de prática porque dizem: 'não, trata-se de um louco, de um débil mental'", protestou o petista. "É débil mental, sim, e tem que aprender a respeitar os outros", disse Costa.
Transtornado, Mário Couto ironizava a falta de assinaturas para a criação de uma CPI e insinuou que haveria liberação de recursos para demover parlamentares de apoiarem o grupo de investigação. "Quando se leva uma CPI para combater a corrupção no País, não assinarem... Meu Deus do céu, que país é este? Que Senado é este, meu Deus do céu? Vinte senadores e senadoras apenas, Brasil, apenas, assinaram a CPI a favor de vocês, para se descobrir, Brasil, quem são aqueles que ofendem vocês, quem são aqueles que roubam vocês, Brasil. Quantos se dizem puros? Quantos se dizem a favor do povo? Roubem! A Dilma não vai mais demitir ninguém. Calem-se, deputados! Calem-se, senadores! Não assinem a CPI! A Dilma vai liberar uma fortuna para Vossas Excelências. Ninguém assina a CPI da Corrupção", gritava Couto.
Em um segundo momento, os dois senadores continuaram a troca de acusações no chamado cafezinho do Senado, no fundo do Plenário. "Você é um corrupto, vou à tribuna agora. É corrupção todos os dias. Você acorda com o jornal, é corrupto a toda hora. Você já respondeu a processo. É por isso que você defende a corrupção. Tem que acabar no pau, caboclo. Não pode dar trégua a isso, não. 'Tá' demais nesse país, é corrupção todo dia", continuou Mário Couto.
"Eu não sou moleque. Você está respondendo a processo", rebateu o petista. Após o bate-boca, os dois senadores anunciaram que irão recorrer ao corregedor da Casa para que seja analisada uma eventual quebra de decoro. "Vou ao corregedor da Casa no sentido que eles façam uma avaliação sobre os fatos de hoje, fatos que vão se repetindo, de agressões reiteradas a outros senadores, de agressões reiteradas a autoridades, a partidos, coisas que vão literalmente contra o decoro parlamentar. Todos nós aqui temos posições, temos divergências, muitas vezes as divergências são tratadas de forma acalourada. Uma coisa é o calor da discussão e outra coisa é a agressão gratuita. Foram várias vezes que nosso partido foi brutalmente agredido por ele, parlamentares aqui. Se alguém deve ser enquadrado no Conselho de Ética, deve ser ele", afirmou  (Terra)

Um comentário:

Anônimo disse...

Esse Mario Couto é um bruto. Eu já o vi em salinas com a família tratando todos mal e humilhando a babá do filho. Ele não tem respeito por ninguém.