Páginas

sábado, 12 de novembro de 2011

Lembrete ao juiz Elder Lisboa

Servidor público (até mesmo em estágio probatório) que adere a greve e falta ao trabalho não pode ser demitido. Foi o que entendeu o Supremo Tribunal Federal. Esperamos que nenhum juiz de suprema instância afronte a suprema corte de nosso país.
“A inassiduidade decorrente de greve não legitima o ato demissório”, disse o ministro Carlos Britto. Para ele, a inassiduidade que justifica a demissão “obedece a uma outra inspiração: é o servidor que não gosta de trabalhar”.

Nenhum comentário: