Páginas

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Alunos com baixa renda terão cota no próximo vestibular da UFPA

A Universidade Federal do Pará (UFPA) divulgou nesta quinta-feira (13) a criação de um novo tipo de reserva de vagas: a cota renda. A medida obedece a nova legislação que regulamenta as cotas no país e reserva 25% das vagas nas universidades públicas a estudantes que cursaram todo o ensino médio na rede pública de ensino e que tenham renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo.
O edital do Processo Seletivo 2013 (PS 2013) da universidade já está disponível para consultas no site da instituição e as inscrições começam na próxima quarta-feira (19). Este ano, ao todo serão ofertadas 8.569 vagas, sendo que 1.021 delas destinada ao sistema de cotas da instituição. 
A partir de 2013, há seis tipos de cotas na UFPA. Três delas criam vagas a mais. Quilombolas, indígenas e portadores de deficiência concorrem a 895 vagas exclusivas que são criadas quando candidatos são aprovados no concurso. Sendo, duas para os dois primeiros grupos que são selecionados por editais especiais com provas específicas e uma vaga destinada aos portadores de necessidades especiais (PNE) que participam da mesma prova aplicada aos demais candidatos.
Estudantes de escola pública de famílias que ganham até um salário mínimo e meio terão acesso facilitado á UFPA. (Foto: Karol Kaledh / UFPA)
Há ainda dois cursos de bacharelado ofertados anualmente que são destinados especificamente á quilombolas, indígenas, moradores de assentamentos e/ou ribeirinhos. As graduações em Educação no Campo e Etnodesenvolvimento ofertam, juntas, outras 126 vagas.  As outras três cotas da federal paraense criam reserva de vagas nos cursos ofertados e garantem que 50% dos ingressantes na universidade sejam oriundos da rede pública de ensino. Desde 2008, a UFPA já adotava a cota escola e a cota cor. A primeira reserva metade do total de vagas para candidatos que cursaram todo o ensino médio em escolas da rede pública. Enquanto a segunda garante que 40% destas vagas, ou seja, 20% do total das vagas anuais, sejam preenchidas por estudantes da rede pública que se autodeclaram negros ou pardos.
“A novidade trazida pela lei é que, tanto em relação à cota escola, quanto em relação a nossa cota cor, 25% destas vagas passarão a ser reservadas para estudantes pertencentes a famílias cuja renda per capita não ultrapasse 1,5 salários”, detalha a Marlene Freitas, pró-reitora de Ensino de Graduação (Proeg) da UFPA.
Professores indígenas formados devem garantir ensino bilíngue em aldeias no oeste do Pará. (Foto: Alexandre Moraes/UFPA)
A nova regra muda os percentuais ofertados para cada grupo de cotistas a cada ano. De tal modo, no próximo vestibular o correspondente a 22% das vagas serão destinadas aos alunos da rede pública por meio da chamada cota escola; 8% são voltadas para a cota escola renda, ou seja, aos alunos que além de serem estudantes da rede pública também tenham renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo.
Em relação a cota cor, a universidade reserva 15% das vagas aos alunos que além de serem de escolas públicas, se autodeclaram negros ou pardos e outros 5% são reservadas para a cota cor renda, ou seja, serão preenchidas por estudantes que estudaram todo o ensino médio na rede pública, se autodeclaram negros ou pardos e possuem renda familiar de até 1,5 salário mínimo per capita. “Esses percentuais são aproximados, já que, na verdade, o cálculo é feito a partir de cada curso”, explica Marlene Freitas. 
Inscrições
A prova da UFPA, agendada para o dia 9 de dezembro, corresponde à segunda fase do concurso que garante uma vaga no ensino superior da Federal Paraense. A primeira fase do Processo é o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), agendado para os dias 3 e 4 de novembro. O candidato que não tiver realizado inscrição no Enem 2012 terá sua inscrição rejeitada no Processo Seletivo da UFPA.
Prova está marcada para o dia 9 de dezembro. (Foto: Paula Sampaio / O Liberal)
Para se inscrever no PS 2013, o candidato deverá preencher o formulário eletrônico com sua opção de curso, língua estrangeira e a cidade de realização da prova. Efetuado o preenchimento, o sistema gera o boleto bancário para o pagamento da taxa de R$ 50. A data limite para esse pagamento é o dia 11 de outubro. A inscrição somente será confirmada após o processamento do pagamento da taxa de inscrição pelo Banco do Brasil.(G1)

Nenhum comentário: